sábado, 26 de setembro de 2015


Garça alva como a lua
Me empresta o encantamento de teu voo
E a pureza branca de tuas asas
Só por um momento
Garça de longas pernas
Me deixa contemplar esse azul infinito
Com a avidez dos teus olhos
Troca comigo só um instante
Garça do pescoço comprido
Que te prometo
Nunca mais sentir ciúmes

Lou Witt

3 comentários:

  1. Uma bela garça, um lindo poema.
    Um abraço
    Maria

    ResponderExcluir
  2. Maravilhosamente maravilhoso! Parabéns! Seu talento não tem preço!

    ResponderExcluir
  3. Estou a tentar visitar todos os seguidores do Peregrino E Servo, pois por uma acção do google meu perfil sumiu e estava a seguir o seu blog sem foto e agora tive de voltar a seguir, com outra foto. Aproveito para deixar um fraterno abraço.
    António Jesus Batalha.

    ResponderExcluir

pétalas